“Bandido bom é bandido morto”. “Em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher“. “Pau que nasce torto, morre torto”. Essas são algumas das frases que são comuns no cotidiano da sociedade brasileira.  Mas é real  essa narrativa? Que bandido bom é bandido morto? Que pau que nasce torto morre torto?

O que o Apadrinhe um Sorriso buscar mostrar é que não são. Para isso utilizamos ferramentas como as nossas atividades que possibilitar um outro olhar sobre essas narrativas de senso comum.

Buscando romper com as “verdades” e ideias já estabelecidas na sociedade, usamos a educação popular como um importante instrumento de libertação.

Aqui algumas das imagens do Sarau de Poesia Apadrinhe um Sorriso. Momento que crianças de 04 aos 12 anos e adolescentes de 13 aos 18 anos tem a oportunidade por meio da leitura e atividades lúdicas experienciarem trocas cujo foco é quebrar os sensos comuns da sociedade que esses sujeitos fazem parte, mas da qual lhe é negado o direito de existir.

 

 

Sarau de Poesia – Uma escola da vida

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *